terça-feira, 11 de dezembro de 2018

Dirty Work: fotografando casas noturnas


Quando me perguntam porque sou tão apaixonada por fotografia, não consigo pensar em um motivo mais sensato do que este: enxergar momento cotidianos por um ponto de vista mais sensível. Momentos, esses, que passariam despercebidos por pessoas que não vivem essa paixão. Eu fotografo casas noturnas, então sempre estou em alguma baladinha registrando tudo por de trás de minha lente. Essa primeira imagem - dos três homens conversando - foi a minha favorita da última festa; ganhou um cantinho especial no meu coração. Por quê? E precisa motivo? Ela simplesmente me tocou, e sou grata por isso. Um momento simples, cotidiano - quem não conversa em festas? E este é o privilégio de quem está atrás da câmera: um ângulo único, que de certa forma teve relevância e singularidade.


Fotografar a espontaneidade é o que me fascina, e é por isso que adoro fotografar casas noturnas. A espontaneidade está em seu maior grau: pessoas dançando, álcool, felicidade, música boa, amigos, risadas. As pessoas realmente se liberam e dão espaço para seu eu ser tão eu, que julgamentos externos já não cabem mais na pista de dança.





Uma das tarefas que carrego como fotógrafa é a de fazer as pessoas se sentirem bonitas e seguras quanto a sua imagem, então faço questão de elogiar roupas, cabelo, tatuagens, e isso realmente transforma a feição de quem estou fotografando. Contudo, há algo que ainda me intriga: o fato de mulheres não estarem acostumadas quando eu - mulher - faço elogios. É uma lástima dizer que ainda vivemos uma competição de aparências dentro do mundo feminino.

A fotografia vem me mudando em várias esferas da minha vida, e uma mudança que tenho orgulho em apontar é o modo como enxergo as mulher hoje em dia, até porque não sejamos hipócritas, não é? Quem aqui nunca julgou uma mulher pela aparência, jeito ou por puro recalque? Fico aliviada em pensar no que minha psicóloga sempre me diz: sabe a melhor parte? Isso tudo é reversível.

E realmente é. Hoje exalto toda e qualquer mulher a minha volta. Sua beleza, inteligência, força, capacidade. E mostrar para essas mulheres que não precisamos ser competidoras, me passa a sensação de papel cumprido para com meu próprio gênero.







Nem tudo são rosas na pista de dança. Querem saber o que mais me enfurece enquanto estou trabalhando? O fato de não ser respeitada por homens enquanto executo minha tarefa, e o que já ouvi apenas por ser mulher. Na maioria das vezes, os homens não entendem que por trás da mulher que sou, há uma profissional batalhando para fazer um trabalho com qualidade, mas tudo o que eles conseguem processar em seu cérebro é hmm, tenho que pegar essa daí. Eles puxam meu cabelo, passam a mão na minha cintura, bunda; fazem comentários asquerosos no meu ouvido. Diversas vezes já me pediram para largar a câmera e dançar com eles, e esse é o maior indicativo de que não sou respeitada, nem levada a sério.

Gostaria que os homens entendessem, nem que por alguns minutos, que vivemos em uma época em que mulheres trabalham e - pasmem! - somos bonitas, inteligentes e capacitadas. E não é uma qualidade ou outra: são todas elas mesmo tempo. Queremos ser respeitadas; queremos trabalhar em paz; queremos ser levadas a sério.


Apesar disso, não posso reclamar, pois sou muito feliz na minha profissão. Digo que fotografar casas noturnas é um Dirty Work:

'Cause when you do what you love
You gotta love what you do
You know I do it with love
It's the Dirty Work
Somebody's gotta do it!

É um trabalho exaustivo, requer muita concentração, inspiração, paciência e prática. Ah, é claro: tem que gostar muito de festa! É um trabalho lindo e muito divertido; que te faz dançar, cantar, conversar, enxergar beleza em cada canto. We're going sundown to sunrise, Dirty Work!

2 comentários:

  1. O que é muito triste, é que o que tu fala é exatamente a realidade. Não tem como ser considerada como uma profissional quando tu ta trabalhando nesse tipo de eventos. Sou homem, não conheço esse sentimento de ser restrigindo como pode ser uma mulher trabalhando assim, so é uma coisa que vejo demais.

    Como sempre, trabalho exemplar, fotos bonitas, texto justo. Parabens Amanda.

    ResponderExcluir
  2. Eu amei suas fotos e gostei muito de saber sua experiência. Infelizmente é assim mesmo em várias áreas, não somos levadas a sério. Mas neste momento é que devemos ter forças e seguir firme mostrando que somos mais do que imaginam. Estou apaixonada no seu trabalho. Parabéns, a qualidade é nítida em cada fotografia. ♥ Se você daqui pertinho, já ia fazer um orçamento ♥
    Beijos!!!
    www.charme-se.com

    ResponderExcluir

Copyright © 2015 | Design e Código: Sanyt Design | Tema: Viagem - Blogger | Uso pessoal • voltar ao topo