sábado, 12 de janeiro de 2019

Distribua amor - Modoo Galeria


Serendipity: finding something good without looking for it. Foi exatamente assim que me deparei com esta exposição de arte linda. Em uma Sexta-feira fui tomar um cafezinho despretensioso no Café Ginkgo 788, e descobri que no terceiro andar havia essa exposição da Modoo Galeria. A exposição carrega a mensagem do real significado de amor, e como me identifico muito com esse tema - inclusive converso com meus amigos sobre isso - me senti na obrigação de fotografar um pouquinho para ficar o registro - e provar que outras pessoas também têm essa opinião sobre o genuíno amar.


Gostei muito do espaço escolhido, pois é extremamente aconchegante, calmo, quieto. Durante todo o tempo em que estive ali observando e admirando a exposição, tive o privilégio de ficar sozinha, então foi um momento muito especial para refletir sobre as mensagens na parede e internalizá-las. Sentei no chão e perdi noção do tempo enquanto me questionava quanto a alguns padrões que ainda tenho em relação a relacionamentos; em relação ao amor. 




Amar atrai amor. Quando li essa mensagem, o primeiro questionamento que veio a tona foi: quanto amor eu dou às pessoas a minha volta? E quando digo amor, não estou falando sobre juras perpétuas e laços utópicos e inseparáveis; estou falando sobre a ideia crua de amor: tratar bem, querer bem, fazer o bem. Acredito fielmente que recebemos o que damos. E se não recebemos o suficiente? Sabe aquele joguinho que fazemos com os outros? Ouvi algumas vezes pessoas falando você não pode ser tão disponível; não demonstre tudo o que sente, isso te torna vulnerável. Será que precisamos dessa tática toda mesmo? Para mim chega, não quero mais fazer parte desse grupo que tenta provar quem ama menos, ou quem menos se importa. Quando vamos demonstrar verdadeiramente o nosso amor e fazer os outros se sentirem devidamente amados?


Distribua amor sempre que a vontade existir. Sem cálculos para equiparar o que você dá com o que recebe. Ninguém sai perdendo por dar muito amor. Amor não deve ser poupado, nem guardado. A única realidade é o presente. Não é um jogo; não há um score. O que existe - ou deveria existir - é respeito pelo próximo, suas vontades e seu timing. O que deveria existir é a transparência dos nossos sentimentos.



O problema muitas vezes é a ideia que temos sobre amor. O que é amor para você? Essa exposição resume uma parte do que acho sobre esse tema. Amar é ser livre. É deixar ser livre. É entender que não temos posse sobre as pessoas e muito menos posse sobre seus sentimentos. Acredito que cada pessoa que passa por nossas vidas é um presente do universo, mas apenas podemos possuir o que elas nos ensinam. Ame sem poder. Ser e deixar ser livre. O verdadeiro amor só pode acontecer em total liberdade.


2 comentários:

  1. Que textão da porra! Vem cá e me dá um abraço! Tenho questionado a mesma coisa! Tenho, inclusive, estado bem desapontada com a vida adulta e todo o jogo de interesse que rola por aqui, até falei disso no blog. Enfim, amei os registros, a exposição e o post. Vou guardar a frase: "A crise do mundo é uma crise de percepção". Se der passa lá em casa. Bjos
    www.falafox.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Lu! É sempre bom sabermos que há pessoas que pensam como a gente, e que não somos tão loucos assim haha

      Excluir

Copyright © 2015 | Design e Código: Sanyt Design | Tema: Viagem - Blogger | Uso pessoal • voltar ao topo