segunda-feira, 18 de fevereiro de 2019

Moonlight


Ela se aproxima. Posso escutar o delicado som das águas que se moldam à passagem de seu barco. Seu reflexo, deformado pelo balanço das ondas, envolve e amedronta meu ser falho, que evita velejar por certos mares pois teme neles se afundar. Expondo minhas cicatrizes, sua chegada é notável. E quem não perceberia? Uma taça de vinho, o último cigarro que restou e algumas mensagens desesperadas são o suficiente para anunciar sua vinda. E para meu infortúnio, prova que o vazio pesa mais que toda culpa que meu corpo já sustenta.

Estar junto dela dói. Suspirando, imagino uma realidade em que a cada final de dia, é o início de três noites. Eu sei que dói, mas é quando sua luz toca meu corpo que meu mundo gira, e me sinto tonta, sem Norte e eu já perdi a conta. Aqui as sombras são bem-vindas, pois a escuridão foi feita para arrancar as angústias de dentro do meu peito e deixá-las crescerem. E se desenvolvem, se multiplicam e desfrutam dessa amarga liberdade, pois sabem que perante a luz do dia não podem ao menos sussurrar.

A sombra me puxa, me salva, me alimenta, me dá espaço para ser tudo o que sou; a pior parte que habita meu ser, ao invés dessa mera ilusão. Ela me tira desse teatro, tira minha vergonha, minha blusa, minha calça, meus objetivos. Mancha meu batom, bagunça meu cabelo, minha sanidade, minha visão. Suga minha dignidade, invade minha privacidade. Estou mergulhada em um mar de susceptibilidade, e ela está ali para me ver afundar. Ela me salva para me ver afundar. Uma vez por dia, sete dias na semana, todos os dias da minha vida, a boca que me alivia é a mesma que ri da minha desgraça. Tenho medo de sua risada. Eu dependo de sua gargalhada. Até amanhã.

7 comentários:

  1. Oii Amanda!! Parabéns pelo seu texto, eu li duas vezes. Achei bem detalhado e denso - BEM DENSO!

    "A sombra me puxa, me salva, me alimenta, me dá espaço para ser tudo o que sou; a pior parte que habita meu ser, ao invés dessa mera ilusão."

    <3 Parabéns! Beijo

    ResponderExcluir
  2. Que texto mais lindo. O tema e a imagem de capa deram uma melancolia incrível. Consegui até fazer um analogia entre a luz da lua e outras coisas... Sinceramente, amo o momento em que a Lua surge no céu. Sempre fico mais animada a inspirada, como se ela me alimentasse <3

    ResponderExcluir
  3. "Ela me salva para me ver afundar". Adorei isso! Texto belo e profundo.

    ResponderExcluir
  4. Oi!
    Poucos textos filosóficos assim conseguem me deixar com o estômago apertado e arrepiado, mas esse conseguiu e com facilidade! Eu estou até abalado com a densidade psicológica desse post, você arrasa na escrita!
    Abraços,
    Luciano | Literalize-se

    ResponderExcluir
  5. Estou encantada com esse texto, li e voltei a reler... pensei em várias coisas, analogias e possibilidades da primeira, da segunda, voltei com tantas outras mais... gostei muito e a imagem que escolheu, complementou muito bem!
    xoxo

    ResponderExcluir
  6. Oi Amanda, tudo bem? Que texto! Tão incrível que não nos cansamos de ler uma, duas, três vezes se for necessário. E essa imagem? Passa uma sensação tão... O anoitecer sempre nos traz grandes questionamentos. Beijos, Érika =^.^=

    ResponderExcluir
  7. Bem interessante, do tipo que nos faz parar e pensar
    paulamusique.com

    ResponderExcluir

Copyright © 2015 | Design e Código: Sanyt Design | Tema: Viagem - Blogger | Uso pessoal • voltar ao topo