terça-feira, 2 de abril de 2019

Duas semanas na França: primeira impressão


É claro que quando digo “França” quero dizer “Nîmes/Manduel”, pois são as cidades que venho explorando no meu tempo livre. Desde que cheguei, fui a cafés, bares, festas, muitas festas, lojas, supermercados, dei rolezinho na rua, dirigi por aí – e até tive um acidente de carro, mas tá tudo bem. Ou seja, com essa amostra dá para ter uma ideia legal de como as coisas funcionam por aqui. Lá vai 7 coisas que me chamaram atenção.

1. Vamos começar pela parte em que os franceses não se importam em falar em Inglês. Vamos parar com esse estereótipo de que francês é esnobe e só fala Francês, ok? Estamos em 2019, e as novas gerações são diferentes. Em todos os lugares que estive, fui bem atendida e recebida em Inglês. Obviamente, nem todo mundo sabe falar a língua, mas as pessoas daqui se esforçam para ajudar do jeito que for. Além do mais, quando descobrem que sou brasileira, arriscam uma comunicação em Espanhol hehe.

2. Quanto ao estereótipo francês, sabe aquela imagem do baguete, queijo e vinho? Sabemos que na França esse costume é bem forte, mas eu pensava que era uma ideia um pouco exagerada e que quando chegasse aqui não me depararia com isso tão frequentemente. Errei, e errei feio. Primeiro dia que chego na casa da minha família Au Pair, o que enxergo na mesa? Baguete, queijo e vinho, e desde então é o que vejo todos os dias. Falando sobre queijo, eu fico maravilhada com a qualidade do produto aqui. Não teve sequer um queijo que eu não tenha me apaixonado, ainda mais quando uma peça de queijo custa em torno de €2, a mesma peça que no Brasil custaria uns R$20.

3. As pessoas andam com baguete de 1 metro embaixo do braço - bem comum essa cena. E se você pedir um sanduíche, você pode chamar mais 2 amigos para dividir, porque o baguete é gigantesco. No meu caso, como sozinha mesmo porque sou esfomeada hehe.

4. No trânsito, as pessoas são muito educadas. Sempre agradecem quando você abre caminho, ou pedem desculpa quando fazem algo errado. E mesmo quando cometo alguma mancada no trânsito (ninguém é perfeito, gente!) as pessoas são calmas e sorriem do tipo "tudo bem, acontece".

5. Diferentemente do Brasil, nas boatesss jovens, os homens sabem respeitar o espaço de uma mulher, ou seja, é a primeira vez que eu estou podendo dançar tranquilamente sem alguém tocando minha cintura ou puxando o meu cabelo. É lindo existir por aqui.


6. Ainda no assunto festa, se você é mulher, pode deixar o salto de lado, pois o lance aqui é conforto e casualidade - o que amo! Jeans, um tênis, blusinha, um suéter larguinho e você está pronta. Quanto a maquiagem? É bem básica também! No meu caso, não preciso mais do que um delineador e um rímel, mas já tinha esse hábito quando morava no Brasil.

7. E durante o dia, como as francesas se vestem? A resposta é: maravilhosamente bem. Enquanto ando pelas ruas, parece que estou folheando uma revista de moda. No guarda-roupa de uma francesa é bem provável que você encontre cores neutras, como o cinza e o nude, e roupas larguinhas, já que o conforto é essencial.

Um comentário:

  1. Que legal ver esse post. Irei pela primeira vez para Paris em setembro, e a primeira coisa que me falaram era isso de eles não falarem inglês e tal.. muito legal seu post!

    www.vivendosentimentos.com.br

    ResponderExcluir

Copyright © 2015 | Design e Código: Sanyt Design | Tema: Viagem - Blogger | Uso pessoal • voltar ao topo